Ministério Público em Mantena pede ao Juiz que seja decretada a indisponibilidade dos bens do ex-prefeito Wanderson Coelho para garantir dívida do IMP. ConfirAgora!

3132

O cerco está se fechando.

Em pouco mais de seis meses fora do poder, o ex-prefeito Dr. Wanderson já amarga várias demandas na justiça. Ora por conta de perseguição a servidor, ora por conta de propaganda eleitoreira utilizando de obra pública, o ex prefeito agora se vê na iminência de ter tudo que conseguiu durante a vida sendo buscado pela justiça para garantir a aposentadoria dos servidores de Mantena junto ao IMP.

Esta semana, o ex prefeito fez publicar pela mídia local, uma foto onde se mostra nitidamente abatido, combalido, praticamente chorando, talvez, ou certamente por conta do desgaste que vem enfrentando já na justiça por conta de sua gestão.

Era só uma questão de tempo, ou seja, era só esperar que o ex-prefeito deixasse o poder e certamente, tudo seria devidamente enviado a justiça para que a devida apuração ocorresse.

Nesta oportunidade, das tantas outras que não irão faltar, umas já em andamento, outras ainda por serem judicializadas, iremos abordar especificamente a situação criada junto ao IMP.

Uma novela que se arrastou por 04 longos anos!

O rombo junto ao Instituto de Previdência é conhecido, público e notório. Hoje, respeitada a alíquota correta, ultrapassa a casa dos CINCO MILHÕES DE REAIS.

Valor que se deu basicamente quando o ex prefeito realizava descontos dos servidores para garantia de suas aposentadorias e demais benefícios previdenciários e não os repassava ao IMP.

Certo é que, respeitado o acesso a ampla defesa e ao contraditório, o ex prefeito terá o direito de se defender.

Mas e o dinheiro que era do IMP? Onde foi parar?

Como já dissemos, em pouco mais de seis meses, através da assessoria jurídica do atual prefeito João Rufino, em sintonia com os conselheiros do Instituto, o Ministério Público da Comarca de Mantena tomou conhecimento da delicada situação.

Através da Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa 0026845.18.2017.8.13.0396, o nobre Promotor de Justiça, Curador (protetor) do Patrimônio Público, tomou conhecimento do fato, com muito cuidado e atenção, logo procurou uma forma de tomar pé da situação, convocando inclusive o presidente e tesoureiro do IMP, os quais lhe explicaram detalhadamente o que ocorreu no mandato passado em relação as contribuições e alíquotas que deveriam ser praticadas pelo Prefeito para com o IMP.

Logo que entendeu toda dinâmica, percebendo a gravidade do fato, Dr. Reinaldo Pinto Lara deu forma final a seu parecer, entendendo depois de analisada toda situação, que realmente, o ex-prefeito Wanderson Elizeu Coelho, orientando por sua  douta assessoria jurídica, praticou, a princípio, ato de improbidade administrativa que causou dano ao erário público e atentou contra princípios da administração pública.

E em sendo assim, devidamente embasado em informações e planilhas reais e verdadeiras, diferentemente das que eram utilizadas por ai, o Representante do Ministério Público manifestou-se favorável ao que pediu a atual Assessoria Jurídica de Mantena, ou seja, pela decretação da indisponibilidade de bens de Wanderson Elizeu Coelho, e diferente da quantia anteriormente informada, pede o MP que seja sobre R$ 5.186.366,69 (CINCO MILHÕES, CENTO E OITENTA E SEIS MIL TREZENTOS E SESSENTA E SEIS REAIS E NOVENTA E SEIS CENTAVOS).

Veja o final do pedido do Promotor:

Pode-se perguntar: Mas será que o ex prefeito teria condições de arcar com essa dívida?

Durante as eleições do ano passado, o ex prefeito tentou a reeleição, e para tanto, como é necessário, declarou os bens que possui junto a justiça eleitoral.

Bens estes que foram observados tanto pela assessoria jurídica municipal, quando prestou informação, quanto por parte do nobre Promotor de Justiça da Comarca.

Em seu registro, que é público e pode ser visto através do site da justiça eleitoral, o ex-prefeito e então candidato a reeleição declarou (ele mesmo) aproximadamente 3 milhões de reais em dinheiro e bens.

Confira abaixo as informações extraídas do site da justiça eleitoral sobre o que mesmo declarou ter:

http://eleicoesepolitica.com/prefeito2016/prefeito/MG/47910/19

Ainda, para quem quiser entender toda história ocorrida, estaremos disponibilizando a íntegra do relatório do Ministério Público no link abaixo:

Novo Documento 2017-07-05 15.32.23