Incêndio criminoso de ponte em Mantena prejudica moradores e proprietários rurais. ConfiraAgora!

1519

 

Esta semana, chegou a nosso conhecimento o fato de que uma ponte foi criminosamente queimada em Mantena.

De acordo com informações, tal ponte, que fica localizada no alto da Serra do “Corta Guela”, entrada à esquerda, em direção a terra (seringal) do falecido Clarindo Vieira, amanheceu domingo (14/06), totalmente destruída pelo fogo .

Uma via muito utilizada, que devido a este atentado, está impossibilitando a passagem de pessoas e veículos, prejudicando as diversas pessoas que residem e trafegam pelo local.

Em conversa com um dos moradores, este nos relatou o seguinte:

“As pessoas que moram ali, caso precisem vir a mantena, terão que passar por outros caminhos, pelo canivete, subindo em frente ao curral do Roni do supermercado União, ou por outros acessos, dificultando muito a rotina das pessoas. Isso é uma irresponsabilidade e um grande transtorno.

Isso é um crime, uma irresponsabilidade, e pessoas que agem assim não tem respeito para com ninguém. Isso não é forma de se solicitar uma ponte nova ou coisa parecida. Isso é crime de destruição de patrimônio público e vamos estar acionando a polícia e as demais autoridades para que providências sejam tomadas para identificação do autor e responsabilização do mesmo.”

Informações dão conta de que isso ocorre como forma de pedir uma ponte nova a administração municipal, onde agora, passam a publicar pelas redes sociais e pressionar a prefeitura para que outra ponta seja feita em tempo record. Uma forma muito irresponsável de se solicitar benefícios, inclusive porque a atual administração tem construído dezenas de pontes de alvenaria e madeira em diversos setores do município. Ou seja, seria muito mais prudente, que representantes locais fossem até a prefeitura e solicitassem a construção de uma nova ponte, ao invés de colocar fogo e prejudicar tantas pessoas. Alegou uma pessoa ligada à administração.,

Um dos proprietários locais, o Sr. Alcides Felipe Guerra, procurou a Polícia Militar e já providenciou um Boletim de Ocorrência relatando o fato e pedindo providências.